sábado, 30 de junho de 2012

Não Há Comparação :)

Dentro e Fuori









É como se diz: “tem gente que dá nó em pingo d’água”...

Encontrei, por acaso, esta casa interessante, moderna e descolada quando tentava ‘ler’ alguma coisa aqui...

Prestem atenção no formato do terreno e na solução encontrada pelo arquiteto para transforma o que poderia ser uma desvantagem, em algo cool...  

Filme do Final de Semana =)

Baião de Dois

 Foto Divulgação

Ingredientes

300 g de feijão de corda debulhado    
200 g de arroz agulhinha tipo 1    
40 g de cebola pera    
50 g de manteiga de garrafa    
80 g de queijo de coalho    
04 dentes de alho roxo (opcional)    
100 ml de nata fresca    
coentro fresco a gosto
cebolinha fresca a gosto
sal refinado a gosto
pimenta-do-reino preta moída a gosto

Modo de Preparo

Cozinhar o feijão com o alho em água até um pouco antes da cocção completa, deixando bastante caldo.
Refogar a cebola na manteiga de garrafa; juntar o arroz e refogar um pouco, para que todos os grãos estejam cobertos por uma leve camada de gordura.
Adicionar o feijão e duas vezes o volume de arroz de seu caldo; cozinhar junto até que ambos (arroz e feijão) estejam cozidos.
Quando cozidos, mas ainda úmidos, desligar o fogo e juntar o queijo de coalho cortado em cubos pequenos e as ervas picadas, tampar e abafar por aproximadamente 5 minutos.
Destampar, adicionar a nata, corrigir os temperos e misturar bem.

Nossa Canção

Capital Do Sol

Sha lá lá
 
Há muito tempo
Quando você estava comigo
Eu me lembro
Você cantava uma canção e me falava
Lembre de mim
E eu me lembro
De nós dois estarmos juntos toda hora
Antes de você um dia ir embora
Você falou assim:

Meu amor onde estiver
Seja com quem estiver
Ao ouvir esta canção lembre de mim
De tudo o que passamos
Dos momentos que sonhamos
Eu vou me lembrar sempre, vou sim

Sha lá lá

E o tempo passou,
Quantos anos sem te ver você voltou
Ficou a me olhar, mas não lembrou
Não me reconheceu
Me aproximei
E cantei outra canção que voce gostava
E sorrindo você logo me abraçava
Quase que chorei

Sha lá lá...

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Viva São Pedro!!!


"E eu te declaro: tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos céus: tudo o que ligares na terra será ligado nos céus, e tudo o que desligares na terra será desligado nos céus."[1]
Jesus (Evangelho de São Mt. 16. 18-19)

Segundo a Bíblia, seu nome original não era Pedro, mas Simão. Nos livros dos Atos dos Apóstolos e na Segunda Epístola de Pedro, aparece ainda uma variante do seu nome original, Simeão. Cristo mudou seu nome para כיפא, Kepha (Cefas em português, como em Gálatas 2:11), que em aramaico significa "pedra", "rocha", nome este que foi traduzido para o grego como Πέτρος, Petros, através da palavra πέτρα, petra, que também significa "pedra" ou "rocha", e posteriormente passou para o latim como Petrus, também através da palavra petra, de mesmo significado.

Antes de se tornar um dos doze discípulos de Cristo, Simão era pescador. Teria nascido em Betsaida e morava em Cafarnaum. Era filho de um homem chamado João ou Jonas e tinha por irmão o também apóstolo André. Simão e André eram "empresários" da pesca e tinham sua própria frota de barcos, em sociedade com Tiago, João e o pai destes, Zebedeu[7].

Segundo o relato em Lucas 5:1-11, no episódio conhecido como "Pesca milagrosa", Pedro teria conhecido Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro, que estava a lavar redes com Tiago e João, seus sócios e filhos de Zebedeu, concedeu-lhe o lugar na barca, que foi afastada um pouco da margem.

No final da pregação, Jesus disse a Simão que fosse pescar de novo com as redes em águas mais profundas. Pedro disse-lhe que tentara em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira mas, em atenção ao seu pedido, fá-lo-ia. O resultado foi uma pescaria de tal monta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase se afundava puxando os peixes. Numa atitude de humildade e espanto Pedro prostrou-se perante Jesus e disse para que se afastasse dele, já que é um pecador. Jesus encorajou-o, então, a segui-lo, dizendo que o tornará "pescador de homens".

Bolo de Macaxeira

 Foto Divulgação

Ingredientes

1kg de macaxeira ralada (em ralo grosso)
2 xícaras (chá) de coco ralado
6 ovos
2 xícaras (chá) de açúcar
1 pitada de sal
200g de manteiga sem sal derretida
600ml de leite de coco
Margarina para untar

Modo de Preparo

Misture tudo sem bater e ponha em forma untada com bastante margarina. Asse em forno preaquecido a 180 graus por cerca de 40 minutos.

Esta receita é de-li-ci-o-sa e foi enviada por Izabel Dias, da Casa dos Frios, em Recife, PE, para o http://receitas.ig.com.br/bolo-de-macaxeira/4fe101a00f033684120002f8.html

Decoração Regional

Interessante como, apesar de vivermos em um mundo globalizado, as diferentes regiões possuem características próprias, seja na cultura, culinária, educação, costumes e, como reflexo disso tudo, na decoração!!!

E, durante este mês, tudo ficou mais evidente, especialmente aqui no Nordeste... Procurei algumas fotos legais de decorações super regionais para colocar aqui e encontrei uma matéria super interessante aqui :)



Numa Sala de Reboco

Luiz Gonzaga

Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco

Enquanto o fole tá fungando tá gemendo
Vou dançando e vou dizendo meu sofrer pra ela só
E ninguém nota que eu estou lhe conversando
E nosso amor vai aumentando
Pra que coisa mais melhor?

Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco

Só fico triste quando o dia amanhece
Ai, meu Deus se eu pudesse acabar a separação
Pra nós viver igualado a sanguessuga
E nosso amor pede mais fuga do que essa que nos dão

Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco
Todo tempo quanto houver pra mim é pouco
Pra dançar com meu benzinho numa sala de reboco

quarta-feira, 27 de junho de 2012

F.e.L.i.C.i.D.a.D.e.

A Volta do Baião

Marinês e Sua Gente

Baião alegria do povo,
Baião olha ele ai de novo...

Pra alegrar o povo,
Olha ele aí de novo...

Enquanto existir nordeste
Existe seca e verão
Cariri, brejo e agreste
Chapéu de folha de jibão
Existe rancho de paioça
Oito baixos, violão
Reco-reco, triângulo, zabumba
Tem que existir baião...

Baião alegria do povo,
Baião olha ele ai de novo...

Pra alegrar o povo,
Olha ele aí de novo...

Ele é igual maré
Vai voltar sem parar
Tem fôlego de sete gatos
É pau de jacaranda
É tronco de bananeira
Quanto mais corta mais dá
Chegou forte, valente
Quero ver o bião no ar...

Baião alegria do povo,
Baião olha ele ai de novo...

Pra alegrar o povo,
Olha ele aí de novo...

Bolo Souza Leão

 
Foto Divulgação

Ingredientes

600g de massa de mandioca (vende na feira e em alguns mercados)
600ml de leite de coco
800g de açúcar
300ml de água
200g de manteiga sem sal
12 gemas
1 pitada de sal
Margarina para untar

Modo de Preparo

Ferva a água com o açúcar até formar um calda (por 10 a 15 minutos). Misture a manteiga à calda ainda quente.
Enquanto isso, misture os demais ingredientes com uma colher, sem bater. Derrame a calda ainda quente nessa mistura e passe na peneira grossa. Passe mais três vezes por peneira fina.
Unte a forma com bastante margarina e leve ao forno (ele terá consistência bem líquida) preaquecido a 180 graus por cerca de 50 minutos.

Esta receita ma-ra-vi-lho-sa, que eu tanto a-do-ro, foi cedida por Izabel Dias, da Casa dos Frios, em Recife, PE, para o site http://receitas.ig.com.br/bolo-souza-leao/4fe104a30f033684120002f9.html

terça-feira, 26 de junho de 2012

Lindo, Como Tem Que Ser



















Vamos combinar... casamento é sempre lindo!!! 

Geralmente acontece assim: você está bem tranquila, seguindo a sua vida e, de repente, encontra aquele alguém tão especial... E esse alguém, devagarzinho, vai se transformando 'naquela' pessoa com a qual você pretende dividir os momentos mais importantes da vida!!! 

Quando desejamos partir para uma vida a dois, o casamento, seja com festa ou não, é o marco dessa passagem... E isso é tudo o que a maioria das mulheres deseja, não é???

E, xeretando pela net, encontrei esta matéria sobre uma festa belíssima, diferente daquele casamento convencional e tão 'batido' – sempre realizado à noite e com tanta pompa que deixa qualquer noiva, mãe da noiva, noivo, sogra, cerimonialista, etc de “cabelo em pé” – e, cá para nós, do jeitinho que eu gostaria para mim!!! :)

A matéria completa você encontra aqui

Ah... Ia esquecendo: felicidades aos noivos!!! E parabéns pelo extremo bom gosto!!! :)

Sopa de Ervilha Fresca com Hortelã

 Foto: Tadeu Brunelli

Ingredientes

650 g de ervilha  congelada para a sopa
1/2 xícara (chá) de ervilha congelada para decorar
6 galhos de hortelã para a sopa
1 galho de hortelã picada para decorar
1,8 kg de caldo de galinha
1 1/2 colher (chá) de sal
1/4 colher (chá) de pimenta
1 xícara (chá) de creme de leite
2 colher (chá) de açúcar

Modo de preparo

1. Numa panela, ponha o caldo com os galhos de hortelã, a ervilha, o sal, a pimenta e cozinhe por aproximadamente 15 minutos até as ervilhas ficarem macias.
2. Descarte os galhos de hortelã e bata no liqüidificador.
3. Peneire e junte o creme de leite e o açúcar.

À parte, cozinhe as ervilhas para decoração da sopa:

1. Coloque a água para ferver, acrescente um pouco de sal, adicione as ervilhas e deixe cozinhar  por aproximadamente 7 minutos.
2. Em seguida escorra, passe por uma água com gelo, escorra novamente e reserve.

Montagem e finalização:

Na hora de servir, esquente a sopa, desligue o fogo e misture a hortelã picada. Coloque nas tigelas e acrescente uma colher de sopa da ervilha reservada em cada uma.

Receita do Restaurante Spot para o site http://basilico.uol.com.br/receitas.php?id=523

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Tareco e Mariola

Flávio José

Eu não preciso de você
O mundo é grande e o destino me espera
Não é você quem vai me dar na primavera
As flores lindas que eu sonhei no meu verão
Eu não preciso de você
Já fiz de tudo pra mudar meu endereço
Já revirei a minha vida pelo avesso
Juro por Deus não encontrei você mais não
Cartas na mesa
O jogador conhece o jogo pela regra
Não sabes tu eu já tirei leite de pedra
Só pra te ver sorrir pra mim não chorar
Você foi longe
Me machucando provocou a minha ira
Só que eu nasci entre o velame e a macambira
Quem é você pra derramar meu mungunzá
Eu me criei
Ouvindo o toque do martelo na poeira
Ninguem melhor que mestre Osvaldo na madeira
Com sua arte criou muito mais de dez
Eu me criei
Matando a fome com tareco e mariola
fazendo versos dedilhados na viola
Por entre os becos do meu velho Vassoural.

Boa Semana =)

domingo, 24 de junho de 2012

Asa Branca

Luiz Gonzaga

Quando "oiei" a terra ardendo
Qual a fogueira de São João
Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Eu perguntei a Deus do céu, ai
Por que tamanha judiação

Que braseiro, que fornaia
Nem um pé de "prantação"
Por farta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Por farta d'água perdi meu gado
Morreu de sede meu alazão

Inté mesmo a asa branca
Bateu asas do sertão
"Intonce" eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração

"Intonce" eu disse, adeus Rosinha
Guarda contigo meu coração

Hoje longe, muitas légua
Numa triste solidão
Espero a chuva cair de novo
Pra mim vortar pro meu sertão

Espero a chuva cair de novo
Pra mim vortar pro meu sertão

Quando o verde dos teus "óio"
Se "espaiar" na prantação
Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu vortarei, viu
Meu coração

Eu te asseguro não chore não, viu
Que eu vortarei, viu
Meu coração

Viva São João


O Nascimento de João Batista (ou Dia de São João ou Nascimento do Precursor) é uma festa cristã celebrando o nascimento de João Batista, um profeta que previu o advento do Messias na pessoa de Jesus Cristo e o batizou. Esta festa é amplamente comemorada no mundo cristão no dia 24 de junho e é uma das festas juninas.

 

Significado


O cristãos há muito interpretam a vida de João Batista como uma preparação para o advento de Jesus e as circunstâncias de seu nascimento, relatados no Novo Testamento, são também milagrosos. O único relato bíblico sobre o nascimento do profeta está no Evangelho de Lucas. Os pais de João, Zacarias - um sacerdote judeu - e Isabel não tinham filhos e já haviam passado da idade de tê-los. Durante uma jornada de trabalho servindo no Templo de Jerusalém, ele foi escolhido por sorteio para oferecer incenso no Altar Dourado no Santo dos Santos. O Arcanjo Gabriel apareceu para ele e anunciou que ele e sua esposa iriam dar à luz uma criança e que ele deveria chamá-lo de João. Porém, por não ter acreditado na mensagem de Gabriel, ele ficou mudo até o nascimento de seu filho. Os seus parentes quiseram então dar-lhe o nome do pai e Zacarias, sem poder falar, escreveu: "Seu nome é João" e sua voz voltou[1]. Depois de ter obedecido o comando de Deus, ele recebeu o dom da profecia e previu o futuro de João[2]. O cântico que Zacarias profere em seguinda, chamado Benedictus, é utilizado até hoje nos serviços litúrgicos de diversas denominações cristãs[3].

Na Anunciação, quando o Arcanjo Gabriel apareceu para a Virgem Maria para informá-la que ela iria conceber seu filho Jesus através do Espírito Santo, ele também a informou de que Isabel, sua prima, já estava grávida de seis meses[4]. Maria então viajou para visitar Isabel. O Evangelho de Lucas relata que o bebê "chutou" no ventre de Isabel quando ela cumprimentou Maria[5].

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Festa_de_S%C3%A3o_Jo%C3%A3o

Sobrado Cheio de Charme =)








Toda casa possui a sua história... Este sobrado, entretanto, possui diversas histórias: projetada na década de 60, por Jaime Lerner (não, ele não é apenas mais um político brasileiro, também é arquiteto e urbanista), foi moradia do escritor e crítico literário Paulo Leminski...

Após alguns anos sem cuidado, o imóvel, um sobrado, foi reformado pela atual proprietária e, ficou, literalmente, um charme!!!

A matéria completa, inclusive com o passo a passo da reforma e decoração, está no http://casa.abril.com.br/materia/um-charmoso-sobrado-projetado-por-jaime-lerner-ha-40-anos-em-curitiba#1

Doce de Abóbora Cremoso

Doce de Abóbora com Creme de Leite Nestlé

Ingredientes

1/2 meio quilo de abóbora (ou jerimum, como é mais conhecida aqui no Nordeste) moranga, descascada e picada
1 xícara (chá) de açúcar
2 cravos da índia
1 caixinha de creme de leite Nestlé

Modo de Preparo

Em uma panela coloque a abóbora, o açúcar e os cravos.
Tampe a panela e leve ao fogo baixo, mexendo sempre, até que a abóbora esteja bem cozida (cerca de 20 minutos).
Retire do fogo, elimine os cravos, junte o Creme de Leite Nestlé e bata no liquidificador até obter um creme homogêneo.
Coloque em uma compoteira, espere esfriar e sirva a seguir.

sábado, 23 de junho de 2012

Noites Brasileiras

Luiz Gonzaga

Ai que saudades que eu sinto
Das noites de São João
Das noites tão brasileiras na fogueira
Sob o luar do sertão

Meninos brincando de roda
Velhos soltando balão
Moços em volta à fogueira
Brincando com o coração
Eita, São João dos meus sonhos
Eita, saudoso sertão

Bolo de Milho Verde

Foto: Ormuzd Alves


Ingredientes

2 espigas de milho debulhadas
1/4 de xícara (chá) de leite
1 xícara (chá) de açúcar
3/4 de xícara (chá) de manteiga
2 ovos
1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
1 colher (sopa) de fermento químico em pó
2 colheres (sopa) de açúcar de confeiteiro

Modo de preparo

Aqueça o forno em temperatura média.
No liquidificador, bata o milho com o leite até ficar homogêneo. Reserve.
Na batedeira, bata o açúcar com a manteiga até obter um creme claro.
Junte os ovos e bata bem.
Ponha o milho reservado, a farinha, o fermento e bata até obter uma mistura homogênea.
Coloque numa forma de buraco no meio com 20 cm de diâmetro untada com manteiga e leve ao forno por 30 minutos ou até que, ao enfiar um palito no centro, ele saia limpo.
Deixe esfriar, desenforme e polvilhe o açúcar de confeiteiro.

Dica: se quiser, substitua o milho-verde por 1 xícara (chá) de milho em conserva escorrido.

Esta deliciosa receita, que fica ótima com café, foi retirada do site http://mdemulher.abril.com.br/culinaria/receitas/receita-de-bolo-milho-verde-547298.shtml

Festa Junina

Foto Google

Origem da Festa Junina 

Existem duas explicações para o termo festa junina. A primeira explica que surgiu em função das festividades ocorrem durante o mês de junho. Outra versão diz que está festa tem origem em países católicos da Europa e, portanto, seriam em homenagem a São João. No princípio, a festa era chamada de Joanina.

De acordo com historiadores, esta festividade foi trazida para o Brasil pelos portugueses, ainda durante o período colonial (época em que o Brasil foi colonizado e governado por Portugal).

Nesta época, havia uma grande influência de elementos culturais portugueses, chineses, espanhóis e franceses. Da França veio a dança marcada, característica típica das danças nobres e que, no Brasil, influenciou muito as típicas quadrilhas. Já a tradição de soltar fogos de artifício veio da China, região de onde teria surgido a manipulação da pólvora para a fabricação de fogos. Da península Ibérica teria vindo a dança de fitas, muito comum em Portugal e na Espanha.  

Todos estes elementos culturais foram, com o passar do tempo, misturando-se aos aspectos culturais dos brasileiros (indígenas, afro-brasileiros e imigrantes europeus) nas diversas regiões do país, tomando características particulares em cada uma delas.  

Festas Juninas no Nordeste 

Embora sejam comemoradas nos quatro cantos do Brasil, na região Nordeste as festas ganham uma grande expressão. O mês de junho é o momento de se fazer homenagens aos três santos católicos: São João, São Pedro e Santo Antônio. Como é uma região onde a seca é um problema grave, os nordestinos aproveitam as festividades para agradecer as chuvas raras na região, que servem para manter a agricultura.

Além de alegrar o povo da região, as festas representam um importante momento econômico, pois muitos turistas visitam cidades nordestinas para acompanhar os festejos. Hotéis, comércios e clubes aumentam os lucros e geram empregos nestas cidades. Embora a maioria dos visitantes seja de brasileiros, é cada vez mais comum encontrarmos turistas europeus, asiáticos e norte-americanos que chegam ao Brasil para acompanhar de perto estas festas. 

Comidas típicas 

Como o mês de junho é a época da colheita do milho, grande parte dos doces, bolos e salgados, relacionados às festividades, são feitos deste alimento. Pamonha, cural, milho cozido, canjica, cuscuz, pipoca, bolo de milho são apenas alguns exemplos. 

Além das receitas com milho, também fazem parte do cardápio desta época: arroz doce, bolo de amendoim, bolo de pinhão, bombocado, broa de fubá, cocada, pé-de-moleque, quentão, vinho quente, batata doce e muito mais. 

Tradições 

As tradições fazem parte das comemorações. O mês de junho é marcado pelas fogueiras, que servem como centro para a famosa dança de quadrilhas. Os balões também compõem este cenário, embora cada vez mais raros em função das leis que proíbem esta prática, em função dos riscos de incêndio que representam.

No Nordeste, ainda é muito comum a formação dos grupos festeiros. Estes grupos ficam andando e cantando pelas ruas das cidades. Vão passando pelas casas, onde os moradores deixam nas janelas e portas uma grande quantidade de comidas e bebidas para serem degustadas pelos festeiros.

Já na região Sudeste são tradicionais a realização de quermesses. Estas festas populares são realizadas por igrejas, colégios, sindicatos e empresas. Possuem barraquinhas com comidas típicas e jogos para animar os visitantes. A dança da quadrilha, geralmente ocorre durante toda a quermesse.

Como Santo Antônio é considerado o santo casamenteiro, são comuns as simpatias para mulheres solteiras que querem se casar. No dia 13 de junho, as igrejas católicas distribuem o “pãozinho de Santo Antônio”. Diz a tradição que o pão bento deve ser colocado junto aos outros mantimentos da casa, para que nunca ocorra a falta. As mulheres que querem se casar, diz a tradição, devem comer deste pão.