sábado, 26 de março de 2016

Por Aí #116

 Natal, RN, Brasil

 Godafoss, Iceland

 Garden Route, África do Sul

 Lisboa, Portugal

Sydney Harbour, Australia

sexta-feira, 25 de março de 2016

Best Day Of My Life

American Authors 

I had a dream so big and loud
I jumped so high I touched the clouds
I stretched my hands out to the sky
We danced with monsters through the night

I'm never gonna look back
Woah, never gonna give it up
No, please, don't wake me now

This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife
This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife

I howled at the moon with friends
And then the sun came crashing in

But all the possibilities
No limits just epiphanies

I'm never gonna look back
Woah, never gonna give it up
No, just don't wake me now

This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife
This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife

I hear it calling outside my window
I feel it in my soul (soul)
The stars were burning so bright
The sun was out 'til midnight
I say we lose control (control)

This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife
This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife
This is gonna be, this is gonna be, this is gonna be
The best day of my life
Everything is looking up, everybody up now
This is gonna be the best day of my li-ife
My li-i-i-i-i-ife

sábado, 19 de março de 2016

Por Aí #115

 Marabá, Pará, Brasil

 Yee Peng Festival in Chiang Mai, Thailand

 The citadel of Berat, Albania

Cartagena, Colômbia

Aveiro, Portugal

sexta-feira, 18 de março de 2016

Livro das Horas

Foto: Reprodução

O Livro das Horas era um livro de oração para os laicos, criado nos fins da idade média, na Europa, e utilizado nas devoções particulares. Estas obras eram, muitas vezes, personalizadas para usuários individuais e iluminadas com pinturas em miniaturas que descreviam a vida de Cristo, da Virgem Maria e dos santos. O texto incluía um calendário com os dias das festas litúrgicas e uma série de orações a serem recitadas oito vezes por dia, conforme a prática estabelecida. No início do período renascentista a popularidade do Livro das Horas demonstrava o interesse, cada vez maior, dos laicos em falar diretamente com Deus e os santos e não exclusivamente através da Igreja e do clero ordenado. Este manuscrito do Livro das Horas, da França do início do século XVI, foi escrito em velino de pele e inclui pinturas em miniaturas, sendo 16 grandes e 26 pequenas, todas iluminadas em ouro e pintadas em ricas cores primárias. Foi ornada de títulos e marcas de parágrafos em tinta azul e vermelha, e escrita em delicadas letras romanas da mais alta qualidade. Tanto o texto como as iluminações são atribuídas à oficina parisiense de Geoffroy Tory.

Encontrei este artigo aqui, referente ao Livro das horas, também chamado de Livro de horas ou, ainda, Livro missal.

Tal livro data do final da Idade de Média e continha o calendário das festas e dos santos, as Horas da Virgem, da Cruz, do Espírito Santo e dos mortos (Liturgia das Horas), as orações comuns e os salmos penitenciais.

quinta-feira, 17 de março de 2016

Adesivando =)





Fotos Google

Prático, rápido, barato e divertido...  São algumas das qualidades dos adesivos na decoração de residências e, até, de escritórios...

Eu gosto da praticidade de colocar e retirar, se tiver algum jeito com colagem!!!

quarta-feira, 16 de março de 2016

Nada Básicas...





Fotos Pinterest

Veja como aquela blusinha básica, pode se transformar numa peça cheia de charme, capaz de incrementar o seu visual... 

Basta ser criativa e ter um pouco – ou muita - habilidade ;)

segunda-feira, 14 de março de 2016

Salmão Grelhado ao Molho de Maracujá e Arroz Negro

Foto Reprodução

Ingredientes

Salmão 

1/2 quilo de salmão
sal a gosto
pimenta-preta em grão a gosto
2 1/2 colheres de chá de azeite 

Molho de maracujá 

1 colher de sopa de cebola picada
2 1/2 colheres de sopa de manteiga
1 colher de sopa de açúcar
6 colheres de sopa de polpa de maracujá, com as sementes
2 colheres de sopa de creme de leite
1 colher de sopa de conhaque (opcional)
1 colher de sopa de mel 

Arroz negro 

3 1/2 colheres de sopa de manteiga
 1 cebola picada
320 gramas de arroz negro
1/2 taça de vinho branco seco
1 litro de caldo de legumes
1/4 xícara de chá de queijo parmesão ralado
1 maçã verde picada
sal a gosto 

Modo de preparo

Salmão 

Tempere o salmão com sal e pimenta. Passe azeite numa grelha, espalhando-o uniformemente. Quando a grelha estiver bem quente, coloque o salmão com a pele para baixo e grelhe a seu gosto, bem ou mal passado. Reserve. 

Molho de maracujá 

Refogue a cebola em meia colher de manteiga até ela ficar transparente. Adicione o açúcar e deixe caramelizar um pouco. Junte a polpa de maracujá e mexa bem, até a mistura ficar homogênea. Acrescente o conhaque, se for utilizar, e flambe. Adicione o creme de leite e mexa até incorporar. Acrescente o resto da manteiga para terminar de encorpar. Acerte o tempero e acrescente o mel. 

Arroz negro 

Numa panela, derreta duas colheres de sopa de manteiga. Adicione a cebola e a refogue em fogo baixo. Quando começar a dourar, acrescente o arroz e mexa por um minuto. Junte o vinho e deixe evaporar completamente. Adicione uma concha do caldo quente e cozinhe o arroz, misturando sempre.

Despeje mais caldo na medida em que o arroz for secando. Enquanto isso, descasque a maçã e corte em cubos. Pingue algumas cotas de limão para que a maçã não escureça. Reserve.

Quando o arroz estiver pronto, na textura de seu agrado, coloque as maçãs, após secá-las, e deixe cozinhar por mais dois minutos, adicionando mais um pouquinho do caldo. Acrescente a manteiga restante e o queijo ralado, tampe a panela e deixe repousar por dois minutos. Sirva imediatamente com o salmão e o molho de maracujá, arrumando os pratos de forma que as maçãs fiquem sobre o arroz. 
Receita da chef Vera Damaso, do restaurante Zeffiro, para este site aqui :)